Amor à francesa.

Véspera de feriado e muitos ônibus chegavam e partiam para vários lugares. O expresso Jaraguá era esperado por Daniele. Ela aguardava a chegada de sua prima Luiza que chegava para estudar uma temporada em Castelópolis.  A cidade que ostentava a fama de ser o lugar onde os casais eram mais felizes, atraindo muita gente que procurava alguém para ser feliz junto!

O expresso Jaraguá chegou atrasado devido ao mau tempo provocado pela neve que estava caindo forte desde o começo do inverno.

Às 18 horas o expresso parou na velha estação. As pessoas saiam enfileiradas tentando se proteger do frio. Ansiosa pela demora, Daniele procurava por sua prima Luiza e não conseguia vê-la. Todos desembarcaram e a moça não desceu. Mas aquele era o expresso Jaraguá, o que havia ocorrido?

Preocupado Daniele dirigiu até o guichê da companhia para buscar informações, quando viu alguém vindo da parte de trás. Era a Luiza.

– Prima.

Daniele sentiu alívio:

– Luiza, o que aconteceu? Pensei que havia tomado o expresso errado.

Sorrindo ela respondeu:

– Estava com sono. Acabei dormindo e não notei quando chegamos.

Luiza foi morar com sua prima Daniele, mas não demorou muito tempo para ela resolver morar sozinha. Achava que não tinha privacidade e que precisava de um lugar só seu!

Contra a vontade de sua prima, ela foi morar em um pensionato. Um lugar simples com pessoas de diversos lugares. Inclusive no local moravam homens e mulheres misturados.

Neste local Luiza conhece Dominic. Um jovem Francês que estava estudando em Castelópolis, mas que não planejava morar definitivamente ali. Ele planeja voltar logo para Toulouse, sua cidade natal e onde havia deixado Catherine, uma jovem que ele jurava amor!

Luiza se apaixonou por Dominic. Eles se envolveram de uma forma tão intensa que ela acreditava que havia encontrado seu príncipe encantado. Cada dia a moça estava mais apaixonada e naquele clima não agüentava esperar. Entregou-se de corpo e alma ao homem que amava.

Era uma sexta-feira cinzenta e fria, quando ela teve sua primeira noite de amor com seu amado. Trancados no último andar do prédio, um espaço decorado com peças de antiquário, reproduzia um cenário dos anos 50. Romântico!

Foi uma noite linda, inesquecível. Luiza que se guardava para o homem certo, o homem perfeito, estava inundada de felicidade. Sonhava casar-se e ter muitos filhos. Ela até os imaginavam correndo pela casa, brincando no alpendre. Tudo perfeito como ela sonhava.

Ao amanhecer, Luiza acordou quando o sol veio te tocar, passando por uma frestinha da janela. Era uma forma perfeita de começar o dia ao lado da pessoa que tanto amava. Mas Luiza foi surpreendida por algo que custou acreditar.

Olhando para o lado, Dominic não estava. Ela pensou que ele devia está buscando o café para ela. Assim ficou esperando na cama por um bom tempo, quando percebeu que ele estava demorando demais. Ela decidiu ir até a cozinha verificar o que estava se passando, esperando por uma boa surpresa.

Chegando ao local onde alguns moradores tomavam o café, ela perguntou se alguém sabia onde estava Dominic.  

Sentada ao lado da mesa, Mariana notifica:

– Luiza, não seja boba. Sou bem experiente com esse tipo de homens. Esqueça ele e vá ser feliz.

Naquele instante, Luiza se viu muito confusa:

– O que está dizendo? Eu amo o Dominic!

Mariana que era uma mulher conhecedora do gosto amargo da infelicidade de viver sozinha dispara:

– Querida, o teu homem foi embora hoje bem cedo. Essa hora já está voando para Paris. Esqueça ele.

Luiza vai chorando para o quarto e depois de passar o dia inteiro chorando, tem a confirmação da partida do Dominic através do dono do pensionato.

Ela entra em depressão, abandona os estudos e logo descobriu que estava grávida! Sofrendo muito recebe ajuda de sua prima Daniele até que o bebê nasce lindo e saudável. Luiza via naquela criança a única ligação entre ela e o homem que acreditava ser o seu príncipe. Da pior forma possível ela descobre que os príncipes da sua infância eram fictícios.

Cinco anos depois Luiza conhece outra pessoa por quem promete não se apaixonar, com medo de sofrer. Ela se casou com o jovem Ricardo com quem teve mais dois filhos. Um casal.

Com o tempo ela descobre o amor do Ricardo e juntos vão morar em uma cidadezinha do interior.

Por: Júnior Franco